Roteiro de Viagem: São Francisco

by Coentro Comunica in


Nas minhas últimas férias, visitei São Francisco e me encantei pela cidade! A paisagem mistura casinhas super charmosas, imponentes pontes, uma interminável praia, o famoso bondinho e vários parques que valem a pena conhecer. A cidade é bastante receptiva e tem uma energia bem gostosa! Como viajei sozinho, os balcões de bares e restaurantes eram parada obrigatória - e o lugar perfeito para fazer amigos e descobrir, com quem vive lá, os melhores endereços para comer. Com isso, montei um roteirinho com alguns dos lugares incríveis que conheci e dicas de sobrevivência que farão da sua estadia ainda mais prazerosa! 

- Antes de mais nada: alugue uma bicicleta. Meio de transporte oficial da cidade, elas são a forma perfeita de circular com tranquilidade, gastando pouco e aproveitando a vista. Gostei particularmente de dois passeios: a travessia da Golden Gate e a pedalada pelos vinhedos na região de Napa Valley (na galeria ao lado). No primeiro, antes de cruzar, faça uma pausa na praia bem abaixo da ponte onde, além da vista imperdível, dá para encontrar até gente surfando se o vento colaborar. Depois de cruzar e chegar a Sausalito, cidade de praia com uma orla bem charmosa, é possível voltar de balsa até o Ferry Building. Já em Napa visitei várias vinícolas, fazendo pausas estratégicas para provar uvas direto do pé e algumas amoras selvagens. Difícil foi voltar pedalando depois de tantas degustações!! Se estiver de carro, vá até Sonoma e visite dois lugares por mim: a Corner Stone (vinícola com jardins cheios de obras de arte frequentada por californianos) e o Freemont Diner (restaurante de beira de estrada meio retrô que serve pratos americanos típicos, como frango frito).  

- Se ainda não decidiu onde ficar, recomendo hospedar-se no Mission, o bairro dos mexicanos, de longe o mais descolado da cidade. Ali, passeie por toda a Valencia St, a rua que concentra os bares, restaurantes e lojas mais incríveis . Visite o Four Barrel (foto), que tem um dos melhores cafés da cidade, e, quando a fome apertar, faça uma pausa em uma taquería nas redondezas. Recomendo a Pancho Villa (que fica no 3071 da 16th st), que tem tacos super tradicionais e molhos picantes deliciosos, além de uma margarita ótima que me rendeu um grande porre, sem arrependimentos! Além disso, uma loja em especial vale a visita: a Paxton Gate, que tem animais empalhados na entrada, em um clima que pode parecer meio pesado para alguns, mas termina em uma ensolarada estufa cheia de vida - eles ainda vendem objetos de decoração e livros. Termine o passeio comprando uma fatia de pudim de pão com muitas frutas assadas e tortinhas de limão na Tartine Bakery para um piquenique no Dolores Park,  onde uma galera interessante se encontra para curtir a linda vista panorâmica no fim de tarde.

- Aos, assim como nós, apaixonados por comida, algumas sugestões. O Ferry Building Market é um mercado de comida maravilhoso, com várias lojinhas lindas e tendas que vão te dar vontade de comer TUDO. Minha dica é ir no sábado, quando rola um Farmer's Market imperdível, uma feira livre só de produtores locais. Tomei lá um suco de romã que não esqueci até agora! Falando de restaurantes, quando for ao Castro, bairro gay mais colorido da cidade, não deixe de ir ao The Anchor Oyster Bar! O restaurante, super democrático, tem os melhores frutos do mar que comi na vida - o que justifica a fila constante. Lugar perfeito para tomar o tradicional chowder, uma sopa à base de milho e frutos do mar que virou cartão-postal de São Francisco, e o cozido com os frutos do mar mais frescos do mundo (foto)! Outra pedida certa é o Flour + Water, em outra parte do Mission, que serve comida italiana em um ambiente mega aconchegante, com luz baixa e ótima música - a playlist do jantar, inclusive, vem impressa junto com a conta. Não perca o Bolo de Abobrinha, que, apesar da descrição, é uma sobremesa que leva flor de abobrinha frita recheada de queijo e sorvete de mozarela de búfala. A massa, cheia de especiarias e nozes, é de comer chorando.  Por fim, o Kin Khao é um restaurante thai com mesas lindas de madeira dentro de um hotel na Ellis St, perto da famosa Union Square. Se lambuze com as asinhas picantes de frango e, para acalmar o paladar, peça um dos ótimos drinques, como o que leva folhas de limão kaffir, suco de yuzu e gim! Delícia!

- Um passeio divertido é visitar os museus às 5as, quando a maioria faz festas a partir das 19h, servindo comidinhas e bebidas durante as exposições. Visitei nesse esquema o Exploratorium, museu interativo de ciências, e foi engraçadíssimo ver a galera, depois de alguns drinques, brincando como crianças ao testar as leis da física!

- Poderia fechar o roteiro dando dicas de programas clássicos da cidade, como o Golden Gate Park, a charmosa Lombard St, em zigue-zague que aparece em tantos filmes, os turísticos píers do Fisherman's Wharf, uma ida à Height-Ashbury, cruzamento onde começou o movimento hippie, à praia de Ocean Beach ou ao Castro, bairro gay sobre o qual falei um pouco acima. Prefiro, entretanto, indicar outros dois passeios que fiz e sobre o qual não li em nenhum outro roteiro da cidade: uma visita à Oakland, a cidadezinha do outro lado da Bay Bridge, e à Marin, região depois da Golden Gate. Para a primeira, vá de metro e desça no centro. Passeie por downtown, por chinatown (lá tem uma também), pelo Lake Merritt, que é lindo, e pelo Rockridge e Temescal, bairros cheios de lojas e restaurantes bacanas. Visite os antigos cinemas, como Paramount e Fox Oakland, de arquitetura única, e, se conseguir, termine o dia em Berkley,  que também é demais! Já em Marin, alugue um carro e vá conhecer a Rodeo Beach, lotada de surfistas, e o Mount Tamalpais (foto), que tem a vista mais completa da baía. Mas atenção: o passeio só vale a pena com o tempo aberto (a famosa fog de São Francisco detona qualquer horizonte), então escolha bem o dia desse passeio e divirta-se!