SLOW FISH WEEK

by Coentro Comunica


Um dos nossos clientes mais novos é o Slow Food Brasil! Sempre quisemos apoiar uma boa causa, estamos animadíssimos e agora vamos contar o motivo.

O Slow Food é um movimento internacional sem fins lucrativos que está presente em mais de 150 países no mundo todo. Ele foi fundado por Carlo Petrini, na Itália, em 1986, como um modo de protestar contra o fast-food e a fast-life dos nossos tempos, onde tudo é feito de uma maneira padronizada.  Defende o alimento bom, ou seja, saboroso e de qualidade; limpo, que não prejudica o meio ambiente; e justo, em relação a condições de trabalho e remuneração dos produtores. O movimento tem três grandes missões: defender a biodiversidade alimentar, difundir a educação do gosto e aproximar os agricultores dos consumidores através de campanhas, eventos, iniciativas e projetos como a Arca do Gosto, o Terra Madre Day, o Disco Xepa e a Aliança dos Cozinheiros.

Uma das campanhas mais importantes do Slow Food em todo mundo é a Slow Fish, que incentiva o consumo dos peixes “bons”, isto é, espécies que não correm risco de extinção, cuja pesca é feita de forma não-predatória, respeitando o ciclo natural de reprodução dos pescados. Para isso, atuam com comunidades pesqueiras e realizam parceria com chefs para divulgar boas práticas e o conhecimento de espécies menos conhecidas e valorizadas. Foi com esse propósito que foi criada a Slow Fish Week! 

Até o dia 9 de maio acontece a primeira edição do evento. Participam do festival os restaurantes Amadeus, Café Aprendiz, Suri Ceviche Bar e Varanda, em São Paulo, Taioba Gastronomia, em Camburi, e Guaiaó, em Santos. É uma oportunidade bacana de revelar espécies desconhecidas e muitas vezes desvalorizadas de pescados, como os peixes da “mistura”, que são as variedades de peixes que chegam juntas nas redes de pesca de arrasto - e que normalmente são descartadas.

Entre os pratos oferecidos está o Peixe do dia ensopado com lulas e mariscos (R$ 79), esse lindo da foto, que a chef Bella Mazano prepara, em panela de barro, no restaurante Amadeus.  Já o chef Dagoberto Torres, do Suri, oferece o Tiradito de peixe espada com salsa de chile verde e cebolinhas assadas (R$ 26, foto ao lado). No Varanda da unidade Jardim Paulista, o chef Fábio Lazzarini serve, pelo valor de R$ 75, um pequeno cardápio que inclui como entrada uma Escabeche, peixe curtido com vinagre e cebola, e o Peixe do dia acompanhado de risoto de moqueca capixaba. As espécies podem variar entre sororoca e corvina marisqueira. No Café Aprendiz, que só abre de segunda a sábado na hora do almoço, o menu da chef Val Gonçalvez muda a cada dia,  apresentando sempre receitas variadas como o Quibe de peixe com nozes e coalhada seca (R$ 28,90), servido às quartas, e o Escondidinho de peixe (R$27,90), às sextas. Entre os peixes que podem ser encontrados lá estão a prejereba, peixe-espada e a corvina marisqueira Quem for curtir o feriado no litoral, pode aproveitar para conhecer o Guaiaó, em Santos, e provar o menu-degustação de cinco etapas (R$ 149) do chef André Ahn, que inclui o Peixe perna-de-moça ao molho de maçã verde e erva doce, feijão manteiguinha com aroma de cogumelos e cenoura confitada na manteiga de garrafa. Em Camburi, no Taioba Gastronomia, o chef Eudes Assis oferece o típico PF caiçara (R$ 28), carapau empanado na farinha de fubá, arroz de taioba, pirão e banana assada.