DOCE LISBOA

by Coentro Comunica


Por Paty Moll

Lisboa é uma cidade doce e charmosa. Com pessoas igualmente doces, acolhedoras e generosas. Que fazem você se sentir em casa. E olha que não senti isso tão forte em nenhum outro lugar da Europa, que conheço relativamente bem. É muito familiar para os brasileiros. E tem o conforto de ser a mesma língua e deles adorarem o Brasil, nossas musicas, que tocam em toda parte, e nossas novelas! Tem clima calmo, é barata, tudo é pertinho, parece ótima de viver - me deu muita vontade, quem sabe um dia! Como sempre, minhas viagens giram em torno de comidas e amigos, além da parte turística, é claro, porque tem uma série de monumentos, igrejas e museus interessantes para conhecer nessa cidade antiga!

No primeiro dia, eu recomendo começar pelo Castelo de São Jorge, residência real por séculos. Fica no alto de Alfama, bairro na região central. Tem que subir a pé ou de bonde. Depois vá descendo e visite o Museu de Artes Decorativas, o acervo de um banqueiro e rico colecionador. Lá agora está em cartaz uma exposição sobre a Festa de Santo Antônio, com roupas, musicas e tradições da comemoração, que descobri parecer mais com nosso carnaval do que com a festa junina. Ao lado, veja a linda vista do Miradouro de Santa Luzia para o bairro que já foi o mais disputado de Lisboa até a Idade Média. Siga descendo e passe pela Catedral da Sé e, em seguida, pela Igreja de Santo Antônio, que nasceu na cidade, e dizem que foi exatamente onde foi construída a Igreja. Não esqueça de fazer seus pedidos! Eu levei um monte de cartinhas, espero que todo mundo case! Ao lado fica o Museu de Santo Antônio - vale a pena saber um pouco mais de sua história.

Sugiro continuar descendo até a rua Augusta, bem comercial e exclusivamente de pedestres, até o Elevador de Santa Justa. Suba as escadas até o Chiado e almoce por lá. Passe o resto do dia lá pelas lojinhas, livrarias, antiquários.... Tem vários restaurantes bacanas! Eu comi no super recomendado (unamimamente) Cantinho do Avillez, do chef José Avillez, um dos mais festejados hoje no país, ao lado do Vitor Sobral. Lá provei um gazpacho de cerejas, que estavam na época, maravilhoso, com requeijão e manjericão! Ele tem outro restaurante, o Belcanto, com duas estrelas Michelin. No Largo do Chiado fica o Café Brasileira, com a famosa escultura do Fernando Pessoa, super tradicional, com quase um século de vida. Não deixe de conhecer as livrarias Bertrand (dica da amiga Micky!) e a loja A Vida Portuguesa (dica da amiga Thaís!), de artigos retrô como sabonetes e latas de sardinha. Eu voltei a pé e passei pela praça do Rossio, que foi por 6 séculos o centro de Lisboa. Fui andando até a Av da Liberdade, a mais chique da cidade. Lembra a Champs Elysées, com várias lojas elegantes, como a Prada. Meu hotel ficava ao lado da Praça dos Restauradores, no fim da avenida.

A noite, vá jantar na Tasca da Esquina!!! Fui com o Gonçalo, RP do Vítor Sobral lá, e parceiro de trabalho! O chef Hugo Nascimento, sócio do Vítor, é o máximo, e também é um dos mais prestigiados chefs hoje em Lisboa. Comi o menu-degustação, que tinha, entre vários pratos, um bacalhau com ovo e chorizo divino, e um rosbife com molho de cereja picante e tapioca, uma delícia! Ali no bairro Campo de Ourique fica também a Cervejaria da Esquina, também do Vitor, onde se bebe imperial, ou chope em português de Portugal, e se come mariscos locais e outros petiscos. Esse vai ter que ficar para uma próxima visita. Fica lá também, bem pertinho, a matriz do O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo, do Carlos Bráz Lopes, amigo querido e ex cliente, que fiz questão de encontrar. Descobri que agora ele faz uma versão mini do seu bolo, vale experimentar, uma graça!!! Se quiser esticar a noite: Bairro Alto, região boêmia, com vários bares e baladinhas. 

No segundo dia, recomendo ir para a beira do Tejo! Comece pelo Mosteiro dos Jerônimos, da linda foto que está na nossa home. Enorme, lindo, uma paz! É ali que fica o túmulo de Fernando Pessoa. Depois atravesse a rua e vá conhecer o Monumento dos Descobrimentos, de onde saíram as embarcações. Ao lado fica o novo Espelho D'Água, restaurante, espaço cultural e residência artística, que teve o cardápio feito pela Ana Soares em sua primeira consultoria internacional, vale conhecer! O menu é inspirado na rota das navegações e nos países que foram colônia portuguesa. Comi um ceviche de bacalhau e um bolinho de arroz com sardinha genial, coisas da Aninha! Ali almocei com a simpática Mona Camargo, com quem já trabalhei em SP, e me recebeu muito bem. Ela é RP e esposa do proprietário, o angolano Mário Almeida. Guarde espaço no estômago para antes ou depois ir comer os famosos Pasteis de Belém - ali pertinho, que despensa apresentações.

Continue andando até a Torre de Belém, fortaleza erguida para proteger o Tejo. Se tiver animado, ali no cais tem vários restaurantes, baladinhas e bares famosos. Tem um restaurante chique e super conhecido chamado Bica do Sapato, que fui da última vez. Ali próximo fica também o Mercado da Ribeira, mercado antigo, reformado, cheio de barracas legais, escolhidas com a curadoria da Time Out, revista super forte no país. Comi na Manteigaria Silva, que vende queijos e embutidos curados incríveis.O sanduíche de presunto cru e queijo Serra da Estrela foi a minha escolha.

Fiquei somente dois dias inteiros em Lisboa. No primeiro dia, eu só tive a tarde e fui logo passear sem pressa no Chiado e Bairro Alto. Comi uma salada com frutos do mar numa tasquinha bem honesta que achei bonitinha e entrei - porque nem tudo são dicas. Se tiver mais um ou dois dias, recomendo visitar os arredores da cidade. Vá conhecer Sintra, bem perto, linda e encantadora. Lá, é obrigatório provar o famoso Travesseiro de Sintra da Periquita, folhado de doce de ovos (tudo gira em torno de doce em Potugal mesmo, vai vendo!), e conhecer o famoso Castelo. Se preferir praia, vá para Caiscais ou a Praia do Guincho também próximas da cidade. Ah, não deixe de comer cerejas na rua! Luxo por um euro. 

 

Abaixo segue uma lista de restaurantes e bares que me foram super bem reomendados:

Cervejaria Ramiro

Poleiro 

Confeitaria Nacional

Conservaria de Lisboa

Taberna das Flores 

100 maneiras 

Solar dos Presuntos

Salsa e Coentros

Casa de Pasto

Wine Bar do Castelo 

Café do Teatro 

Park bar Lisboa 

Ah, quem quiser acompanhar o que há de mais novo, recomendo dois blogs bem bacanas de gastronomia:

http://blogues.publico.pt/olhos-barriga/

http://mesamarcada.blogs.sapo.pt/

E para embalar a viagem, escute muito Antonio Zambujo!