Caminho do Queijo Artesanal Paulista

Para valorizar a produção queijeira de São Paulo e mostrar aos próprios paulistas - e para o mundo - que queijo artesanal bom não precisa vir de fora do Estado ou do país, articulamos dez pequenos produtores para formar o Caminho do Queijo Artesanal Paulista. O projeto visa a criação de um selo de qualidade que identifique as queijarias de alto padrão, valorizando e impulsionando o mercado local, e conta com um mapa para visitação e um manifesto, além páginas nas redes sociais Facebook e Instagram.

 

FESTIVAL ARCA DO GOSTO

Jantar Slow Food_Prato Bel Coelho_Lucas Terribili-3.jpg

A Arca do Gosto é um catálogo mundial do Slow Food para localizar, descrever, divulgar e proteger produtos ameaçados de extinção, mas que se encontram ainda vivos, com potencial produtivo e comercial. A lista, dividida em categorias como raças animais, frutas e verduras, reúne hoje mais de 2000 ingredientes de diversos países, sendo 200 brasileiros, que vão dos mais conhecidos, como o pinhão e a jabuticaba, aos menos, caso do babaçu e do caranguejo aratu. Para estimular seu consumo e popularizá-los, decidimos promover, em parceria com o Slow Food Brasil, a primeira edição do Festival Arca do Gosto em São Paulo. Em 2015, convidamos alguns dos principais restaurantes da capital paulista alinhados com a filosofia do movimento, que valoriza o alimento bom, limpo e justo, para apresentar por dez dias pratos especiais, a maioria inéditos, preparados com algumas dessas riquezas nacionais. Participaram os restaurantes como Brasil a Gosto, Dalva e Dito, Esquina Mocotó, Jiquitaia, Lá da Venda, Maní e Tuju. No ano seguinte, o Festival ganhou formato de experiências, com atividades que foram de oficinas de apresentação de frutas nativas seguidas de piquenique para crianças a menus-degustação em restaurantes com a presença de produtores da rede. Participaram desta edição chefs como Claudia Mattos, Bel Coelho, Ana Soares e Mara Salles. Já em 2017, foi a vez de transformar o festival em um jantar beneficente com pratos assinados por 15 chefs de todas as regiões do Brasil, como Bela Gil, Rodrigo Bellora, Paulo Machado, Caco Machado e Bel Coelho.

FESTIVAL AO CENTRO DA MESA

A prática de compartilhar refeições é tradicional em diversas culturas. Seja nas mezzes árabes e judaicas, nos antojitos mexicanos, nos glub-glaem tailandeses, nos antepastos italianos ou nos petiscos brasileiros e portugueses, este jeito de comer é um hábito em muitos países. Daí nasceu o Festival Ao Centro da Mesa, que teve sua primeira edição em agosto de 2015. Convidamos os restaurantes AK Vila, MoDi, Obá, Saj, Taberna da Esquina parar criarem cardápios somente com petiscos e pratos em pequenas porções. Nada da sequência entrada, prato principal e sobremesa! A ideia aqui é pedir tudo ao mesmo tempo para dividir.

Botando Banca

Organizado, produzido, ilustrado e divulgado por nós, o Botando Banca é um movimento e mapa que reúne restaurantes que servem comida de rua na calçada. Participam da primeira edição Tordesilhas, Suri Ceviche Bar, Obá Restaurante, AK Vila e a doceria La Vie en Douce. Para colocar os eventos de vez no calendário paulistano, criamos um folheto com a localização de cada restaurante, os horários e informações das iniciativas de cada um deles, junto com um guia de outros programas culturais próximos, que podem ser feitos antes ou depois e que está disponível em cada um dos participantes.

Festival da Pimenta

Chefs participantes da 4a edição do Festival da Pimenta

Chefs participantes da 4a edição do Festival da Pimenta

Projeto encabeçado por Paty e Lucas antes mesmo da abertura da agência, o Festival da Pimenta teve em 2013 e 2014, respectivamente, as 3ª e 4ª edição organizadas, produzidas e divulgadas pela Coentro Comunica. Em 2014, reunimos 12 restaurantes em um esforço para desmistificar o universo das pimentas, mostrando as diferentes espécies e seus muitos usos culinários. O objetivo principal foi abrir o paladar dos paulistanos para a diversidade de culturas por ela representada, através de cardápios de várias nacionalidades, eventos de comida de rua e aulas sobre o tema.  O resultado foram restaurantes cheios, clientes satisfeitos e ampla divulgação na mídia. Ano a ano, a resistência contra as pimentas diminui em São Paulo enquanto a procura por pratos picantes aumenta.